Equipagem de Santo Huberto    Defesa da Caçada à Raposa - clique aqui

     A Equipagem de Santo Huberto é uma associação com personalidade jurídica e com fins desportivos; o seu objectivo é a pratica da caça à corricão, principalmente à raposa, com matilha, seguida a cavalo, e actividades afins, bem como o exercício ou a promoção de outras modalidades do desporto equestre e cinegético.
     A E.S.H. formou-se em 1950 com a compra de 30 cães de raça Fox-hound na Inglaterra e na Irlanda em várias Equipagens. A actual matilha é constituída por 70 cães Fox-hounds inscritos no Clube Português de Canicultura.
     A E.S.H. está credenciada e inscrita no Baily's Hunting Directory, juntamente com outras 757 Equipagens de Inglaterra, Irlanda, França, Alemanha, Holanda, Itália, Canadá, Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Índia, Kenya e África do Sul.
     O corpo social é constituído por Sócios Honorários, Sócios efectivos individuais, Sócios júniores, hunt-supporters, Sócios colectivos e Sócios empresas.
     As instalações da E.S.H. estão situadas no Monte de Santo Estevão em Benavente sendo constituídas por Casa Club de Campo, Casas de Huntsman e tratadores, canis e boxes para 30 cavalos.
     As habituais áreas de caça são na Companhia das Lezírias, Mata do Duque, Fidalgos, Zambujeiro, Zambujal, Comporta, Chaminé e diversas outras Herdades no Ribatejo, Alentejo e Beira. A caça à raposa "Fox Hunting" tem como objectivo a busca da raposa selvagem, seu levante e perseguição pela matilha até encovamento ou apreensão pelos cães.
     É no olfacto, na resistência e velocidade dos cães que se baseia esta caça. O número de cães utilizado em cada caçada varia entre 30 a 50 percorrendo normalmente 40 a 50 Km.
     A época começa normalmente em finais de Outubro depois das primeiras chuvas com o treino da matilha nova, e preparação dos cavalos, e em princípio de Dezembro faz-se uma festa especial de abertura oficial da caça com Missa e Benção da matilha, continuando as caçadas até fim de Fevereiro.
     Os dias de caça são às quartas-feiras e sábados. Conforme o Artigo 2º. dos Estatutos a Equipagem, e posta a sua natural vocação turística, admite a presença de não Sócios na prática da sua actividade principal, mediante regras estabelecidas, e o pagamento por participação, do montante fixado pela Direcção.

DIRECÇÃO DA EQUIPAGEM DA SANTO HUBERTO

D. Madalena de Sacadura Botte Abecassis - Master
D. Bernardo de Vasconcellos e Souza - Joint Master
D. Gil de Mendia - Joint Master
D. Manuel de Lancastre - Joint Master e Field Master
Dr. Henrique Abecassis - Vogal
Eng. José Gatta - Hon. Tesoureiro
Cmd. Jorge de Paiva e Pona - Hon. Secret.
Huntsman - Paulo Nogueira
Kennel Huntsman - José Nogueira
Sede:

Escritório:
Monte de Santo Estevão
Santo Estevão - 2130 Benavente
Rua Laura Alves, 19 - 3º Esq. - 1050 Lisboa
Tel. / Fax: 21 7971535

BREVE HISTORIAL

     A caça à raposa tal como a conhecemos hoje, terá tido início no séc. XVII nas Ilhas Britânicas.
     Daí derivou a prática do "FOX-HUNTING", não só para vários países de expressão inglesa: Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul... como igualmente para algumas nações da Europa: por esse Mundo fora existem centenas de equipagens.
     Em Portugal, essa modalidade cinegética parece ter aparecido por volta do ano de 1808 com o exército do 1º Duque de Wellington, servia de distracção aos oficiais mas, sobretudo, preparava cavalos e cavaleiros para os combates na guerra.
     Passados alguns ano, já nos finais do século XIX, conhece-se a existência de uma equipagem ou Associação de caça deste tipo que Sua Majestade a Rainha D. Amélia terá acarinhado.

     A Equipagem de Santo Huberto formou-se em 1950, compraram-se 30 cães Fox-hounds na Inglaterra e na Irlanda, em várias Equipagens. Assim se formou a caça à raposa em Portugal.
     A iniciativa foi do Sr. Rogério da Silveira Macedo com um Conjunto de sócios.
     Eram eles: a Sr.ª Condessa de Barcelona, Master de Honra; o Master Marquês da Graciosa; Sr. Eng. Fernando Espírito Santo Moniz Galvão; Sr. D. Nuno de Mendia; Sr. Dr. Jorge Bastos; Sr. Eng. Francisco Ribeiro Ferreira; Dª. Maria da Piedade Abecassis; Sr. Eng. Carlos Carvalho; Sr. Manuel Cruz; Sr. Jorge Graça e Sr. Capitão Simpson.

MANDATO DOS MASTERS DE 1950 A 2015

     1º Master Marquês da Graciosa; uma época

     2º Master Eng. Fernando Espírito Santo Moniz Galvão de 1951 a 1959.
     O Master Moniz Galvão refrescou o sangue da matilha, mandando vir cães das melhores Equipagens inglesas, por 3 vezes.
     Também contratou quatro Huntsman ingleses e um Wiper-in e renovou o contrato com o Wiper-in José Nogueira que promoveu a Huntsman na época de 1958-1959. Entregou-lhe uma corneta para caçar tendo assim a sua confiança.
     Também mandou construir canis novos em Benavente em 1935-1954, quando se passou de Carcavelos para lá; a construção foi feita numa propriedade do banco.
     Tinha canis bem confortáveis para a matilha assim como as habitações para o pessoal. Era um Master que sabia muito de cães e cavalos, não só das caçadas ás lebres, porque tinha bons galgos e um treinador inglês, teve alguns anos que ganhou tudo o que havia para ganhar com os galgos. Foi também Presidente da Sociedade Hípica Portuguesa por alguns anos.

     3º Master Barão Frederico de Beck que teve o seu mandato de 1959-1960 até à data da sua morte no ano corrente de 1997. Também construiu canis, boxes para cavalos, habitações para o pessoal e um club de caça, a actual Equipagem de Santo Huberto em Santo Estevão. O Sr. Barão de Beck também refrescou o sangue da matilha algumas vezes mandando vir cães de Inglaterra.

     4º Master da Equipagem, Sr. D. Estevam de Lancastre de 1997 a 2015.

     5 º Actual Master da Equipagem, Srª Dona Madalena Abecassis.

EQUIPAGEM DE SANTO HUBERTO

     Hoje a Equipagem de Santo Huberto é um clube com um "numerus clausus" de 60 sócios, com os seus estatutos homolgados, sócios efectivos, sócios juniores, sócios clubes e sócios apoiantes ( "Hunt-supporters" ) em plena actividade e expansão.
     A sede do clube é em Santo Estêvão - Benavente ( a escassos 50 Km de Lisboa) num simpático pavilhão com tecto colmo que todos os anos se anima especialmente de Outubro a Fevereiro. A Equipagem dispõem de instalações para o pessoal e de canis que hospedam aproximadamente 80 cães cadelas e cachorros e onde podem ficar bem acomodados mais de 30 cavalos.

A CAÇA À RAPOSA "FOX HUNTING"

     O seu objectivo essencial é a busca da raposa selvagem, seu levante e perseguição pela matilha, até encovamento ou apreensão pelos cães, que lhe dão a morte.
     A matilha é treinada pelo "huntsman" Paulo Nogueira, que controla a vida dos cães e dos canis. O seu pai - José Candido Nogueira - foi o 1º "huntsman" português e foi-o durante 46 anos. Esteve em Inglaterra a aprender e vieram ainda, de ínicio, "mestres" ingleses caçar em Portugal.
     De lá também se importaram os primeiros cães já ensinados, dos melhores "packs", dái a razão porque ainda se utilizam expressões inglesas na caçada.
     Como se sabe este tipo de caça nasceu em Inglaterra, os cães que vieram obedeciam à voz em inglês e a língua por facilidade foi mantida.

     É no olfacto e na resistência dos cães que se baseia a caça à raposa a corricão muito mais do que na velocidade. O número de cães em cada caçada pode variar entre 30 a 50 - na gíria, 15 a 25 trelas. Para que os cães estejam em forma, capazes de seguir um rasto durante horas, percorrendo distâncias que podem atingir 40 a 50 km, torna-se necessário iniciar o seu treino alguns meses antes do princípio da época. É nesse período também que os novos cachorros começam a sua aprendizagem. A época de caça estende-se dos finais de Outubro, depois das primeiras chuvas que amaciam o terreno, até ao fim de Fevereiro.
     O mês de Novembro é todo dedicado aos "cubings" fase ainda de preparação para os cavalos e para a matilha. O traje dos cavaleiros não precisa, nessas alturas, de ser a rigor.
     Quando os cães estão "au point" faz-se uma festa especial, de abertura oficial da caça, o que normalmente acontece nos primeiros dias de Dezembro.
     Depois da missa, na igreja de Santo Estêvão, as pessoas reúnem-se no clube.

     O "Huntsman" vai aos canis buscar os cães, para os apresentar à assistência. A matilha é benzida e o "Master" distribui um "drink" a todos os cavaleiros e convidados, antes da partida para a caçada que culmina nesse dia com grande almoço e festa rija.

INSTRUÇÕES PARA TODOS OS QUE PARTICIPAM NAS 
CAÇADAS INCORPORADOS NO "FIELD"

 

  01 - Ser pontual à hora da reunião.

  02 - Aceitar sempre as indicações e as ordens do "Field-Master".

  03 - Dar sempre passagem ao "Master", "huntsman", "whiper-in" e, claro está aos "fox-hounds".

  04 - Colocar sempre o seu cavalo de cabeça virada para os "fox-hounds" quando estes passam, a fim de evitar que possam receber um coice. Deve gritar para os "hounds": "War hoss".

  05 - Deixar sempre livres caminhos, estradas e cancelas, de forma a assegurar a passagem de outros.

  06 - Não entrar em campos semeados.

  07 - Evitar assustar ou fazer correr o gado que cruza ou perto do qual passa.

  08 - Não deixar que o seu cavalo pise plantas verdes semeadas sobretudo quando estejam molhadas.

  09 - Se for o último ou um dos últimos, fechar a cancela se tiver sido aberta.

  10 - Deixar sempre certa distância entre o seu cavalo e o que o precede, quando a galope, a fim de não ser obrigado a saltar por cima desse cavalo ou do seu cavaleiro em caso de queda.

  11 - Qualquer membro do "Field" deve estar sempre pelo menos a uma distância entre 60 a 100 metros da matilha ("pack").

  12 - Não se afastar demasiadamente dos flancos do "Field" para evitar que na posição em que se coloca possa vir a cortar a pista("scent") que os "fox-hounds" seguem.

  13 - No caso de o seu cavalo dar coices, ter cuidados necessários para o evitar e avisar sempre os vizinhos (colocar um laço encarnado na cauda do cavalo atreito a escoicear é um bom aviso).

  14 - Tomar sempre as devidas precauções com as árvores evitando bater nelas com a cabeça.

  15 - Tomar atenção com as valas encobertas e com os buracos assinalando-as aos vizinhos com o grito "War holes".

  16 - Idem em relação ao arame farpado. Neste caso o grito é "War Wire".

  17 - Quando vê uma raposa deve assinalá-la ao "huntsman" agitando o toque ou côco para o lado onde ela fugiu e gritando o "hic Hulloa" ou simplesmente "hulloa" (a pronúncia é quase a do português "ÓLÁ").

Equipagem de Santo Huberto
Santo Estevão

(Benavente)
Tel.: 263 949257