Uma Raça três Stud Book's

Fórum da raça

Moderador: Filipe Graciosa

Responder
Mensagem
Autor
PaulaDS
Sela 07 (estribo de prata)
Mensagens: 113
Registado: quarta mar 04, 2009 10:28 am
Localização: Italia
Contacto:

Re: Uma Raça três Stud Book's

#61 Mensagem por PaulaDS » sexta jul 24, 2009 5:08 pm

O mesmo alguém poderia dizer dos Lusitanos portugueses, falar por falar é fácil.. Há quem diga que os Lusitanos tiveram sangue árabe e de PSI nos últimos 100 anos, há quem diga montes de coisas, porque como o sr mesmo é prova, falar é fácil, basta ter boca, ou dedos para digitar.
Dizer talvez sem ter provas, é fácil. E se tem provas, então falem.

ABC
Sela 04 (estribo de bronze)
Mensagens: 50
Registado: quarta set 17, 2008 9:47 am

Re: Uma Raça três Stud Book's

#62 Mensagem por ABC » sexta jul 24, 2009 11:01 pm

Sra. Silva,

Acho que está nitidamente a enveredar por um caminho que só pode conduzir à ofensa, e que a forma como expõe, é mais um dos seus contributos à discórdia. Aliás, a sua postura num fórum brasileiro já deu azo a inúmeros protestos por parte dos outros intervenientes.

Se quer ser interventiva, dentro deste género, aconselho-a a enveredar pela política. Contudo temo que a sua postura “incendiária”, até nesse meio, lhe vá criar alguns dissabores.

Não há Brasileiro, Português, Americano, Italiano, ou de qualquer outra nacionalidade (estou a falar de pessoas de bom senso), que se revejam nessa sua postura!

Passe bem… se conseguir!

Cumprimentos,
ABC

Maria Ramalho
Sela 01
Mensagens: 39
Registado: sábado jun 06, 2009 10:53 pm

Re: Uma Raça três Stud Book's

#63 Mensagem por Maria Ramalho » sábado jul 25, 2009 12:43 am

Paula DS

Coloca a problemática de cavalo versus industria. Ok tem a sua lógica e é assim que tem sido a promoção de muitos produtos de competição (refiro-me à Dressage) que tem vindo a impor as regras das competições internacionais, alemães e holandeses, nomeadamente. Essa "industria" tem trazido enormes mais -valias económicas aos respectivos estados.

No Brasil que pouco conheço, na área de produção dessa "industria", apenas sei que ao Sul se encontram as grandes coudelarias cujos proprietários são na sua grande maioria de origem alemã. A sua metodologia de trabalho e a sua imposição é a mesma do seu Pais de origem. Sei igualmente quem são cavaleiros de nome internacional da Europa que ministram estágios aos cavaleiros mais "promissores" e se, me permite julgo que a frequência dos mesmos, são, maioritáriamente frequentados por todos aqueles que mais posses económicas possuem.

Somos todos Povos diferentes com histórias de passado diferentes.

Se diz que e cito: " Pelo que vejo lá fora, no Brasil, em França e nos Estados Unidos, podem dar graças a deus que o Lusitano está sendo criado e DIVULGADO BEM nesses países, com uma promoção bem feita, por profissionais sérios, que sabem o que estão fazendo. as coisas"

Pois acredito. Há programas, há objectivos, há dinheiro, há patrocínios, há vontades que envolvem entidades publicas envolvidas.

Mas deixe que lhe diga, pelo meu conhecimento na estadias na Alemanha, para alavancar com os ditos melhores a Raça Alemã, os nossos quatro Lusitanos, mostraram que estão muito perto do seu nível, nas competições que se "bateram" com eles. E não foram competições dispicientes. Como o fizemos? às nossas expensas. Como nós, quantos tem possibilidades económicas de fazer o mesmo? Sei apenas que a APSL não promove o que deveria, nada mais.

E os portugueses que para lá emigraram para trabalhar e em simultâneo aprenderem, apenas um tinha um Lusitano.

Ora, não há e concordo consigo, em Portugal, entidades publicas empenhadas seriamente num projecto sério, claro e transparente na promoção do Lusitano, com todos os custos que isso implica.

Óbvio que é o nosso passado, mudanças que se impõem ser feitas, mas acredite é impossível alcançar esse objectivo sem o envolvimento de um projecto nacional. Tal como você diz : Não é tempo de pensar ao que perderam, mas ao que ainda poderiam recuperar, melhorando uma polica de sector que deve deixar de ser pessoal para ser colectiva

Agora desculpa, mas quando diz: Os "meninos" não são cavaleiros que montam no tempo livre, que podem descansar antes das provas, eles não compram ridingwear com griffe e quando desmontam do cavalo não saiem do club numa Ferrari novinha - de fato acredito que nenhum deles tem um cavalo humm, como dizer sem se ofender? Por cá, como por lá, haverá pessoas com esse tipo de características, mas estou absolutamente certa que a maioria trabalha no duro. Porque todos aqueles que acreditam no que fazem, sabem que á assim: não há ferias, nem feriados :-) no trabalho com cavalos.

Por outro lado, o Povo Brasileiro consegue superar quase todos os restantes povos na sua saudável folia, e tem o ex das festas de Carnaval, hoje uma Industria de grande retorno económico. E nesta área nem vamos entrar como esses subsídios são conseguidos;) para se terem vindo a impor ao longo de largos anos e exportarem essa imagem para Portugal, por ex. Isso define um povo, mas também não implica que no trabalho, não se dediquem a 100%, acho eu.

Não há é de facto em Portugal, e dou-lhe toda a razão, um projecto sustentado, pois se houvesse não estaríamos neste fórum a debater este tema.

Mas o que se passa com o Lusitano é transversal a muito património histórico, seja ele de cariz animal ou cultural.

Acho que o fado nos tentou definir, como povo saudosista, triste , apático e de lamentos de conversas de café, (aom invés do ovo genuinamente Brasileiro) mas há-de existir a mudança, e este fórum com este debate é também a prova disso. Uma sociedade civil que começa a nascer e tenta intervir.
Pode-a considerar/ rotular como o fez no seu post e aceito, mas é preciso vivenciar o meio e daí tirará uma leitura mais profunda do que se passa. ;-) E depois, reflectirirá o que a nossa realidade lhe transmite, fiz-me entender?

Para os problemas do nosso Lusitano, é que de facto existem poderes, que minam o trabalho de tantos que arduamente pretendem a mudança.

E as mudanças levam anos a repor, quando já estão tão enraizadas.

Bye
Maria

PaulaDS
Sela 07 (estribo de prata)
Mensagens: 113
Registado: quarta mar 04, 2009 10:28 am
Localização: Italia
Contacto:

Re: Uma Raça três Stud Book's

#64 Mensagem por PaulaDS » sábado jul 25, 2009 1:21 pm

Não se consegue fazer uma conversa seria, produtiva? Ok, não se faz, eu desisto. Amanhã vou de férias (para Portugal) e despeço-me de todos, até Setembro, talvez.

Maria Ramalho
Sela 01
Mensagens: 39
Registado: sábado jun 06, 2009 10:53 pm

Re: Uma Raça três Stud Book's

#65 Mensagem por Maria Ramalho » domingo jul 26, 2009 1:43 am

Pretendeu-se julgo eu, que entendesse que há património nosso, como o Lusitano, que ao fim e ao cabo não são acautelados por poderes que tem direito sobre essas matérias. E sem esses poderes que terão como principal e única função a preservação do património, seja ele de que cariz for, não actuam, e o nosso panorama é este. Mas com isto não julgue que não há gente que lute, no seu anonimato, para alterar as perdas culturais.

Berlusconi, eleito democraticamente pelo povo Italiano e de certeza que a nenhum deles lhe passaria pela cabeça, que Berlusconi, estivesse na posse de um património desse valor. Apenas dois jornais, que de facto o Berlusconi não controla, (ainda), emitiram esta noticia.

Ora quem tem poder ilude os votantes, e lá estamos de novo a ver uma situação em que esse poder detinha esse património. Traduz imenso da sociedade italiana.

E já agora fique também informada que muitos Lusitanos estão a ser criados em Espanha e tem dado bons resultados a todos os níveis, com todo um marketing associado. Espanha tem outra postura que não a Portuguesa.

Adquiridos cá, falo-lhe do Cavaleiro Olímpico Espanhol , cuja equipe teve medalha de Bronze nos Jogos Olímpicos, e Gimenez montava um Lusitano: "Guizo". Agora tem outro Lusitano na calha: "RAIO" e sabe que mais, fomos nós que o trabalhamos e lho vendemos, tal como outro ferro Palha "Recuerdo" para uma júnior que está no top. Veja, se é tão entendida de Lusitanos os scores dos dois. Veja também a Coudelaria do cavaleiro excelente tauromático: Pablo Hermoso, (anteriormente praticava dressage): http://www.pablohermoso.net/

Se fala no Brasil é porque de facto é um praticamente continente e as condições sociais são gritantes e o fosso de classes sociais ricas/ versus pobres é abissal . Lembre-se do Norte, lembre-se das favelas. Há coisas "más" e coisas boas. Quanto à criação dos Lusitanos, por lá já lhe dei a minha opinião, do pouco que sei. E acredito que um dia se apresentarão numa Olimpíadas. Há dinheiro e projectos. Nas mãos de quem? Isso não sei, sei que muitas Coudelarias de referencia são alemãs.

Mas para todos os efeitos não há direito que lhes assista que criem um Stud Book como esteve (e não sei se estará com outras nuances) diferente do nosso, e voltamos de novo à preservação do que é nosso, da desatenção dos poderes tutelares nessa matéria.

Nos E.U.A. basta ter atenção e ler aqui neste fórum o que foi postado por Dr. Alexandra Dees, atdees@aol, e retire as ilações.

Há que se ter uma leitura contextualizada, e apercebi-me que não a conseguiu fazer e continua, entendo eu, pelo seu post a não lá chegar. Tudo se interliga, e o cavalo Lusitano é um caso grave de património Português como os outros.

Refere também a dada altura o seguinte: ."Referia-me ao pessoal que trabalha com os cavalos e que vem do este da Europa, da África do Norte e não sei mais daonde e que não tem a mínima qualificação mas que como trabalha quase de graça... "

Pois nem lhe tiro a presumível razão, mas por experiência própria, contratamos um jovem e sublinho sem o explorar, antes pelo contrário demos-lhe a oportunidade de montar um cavalo de competição com lições grátis, um jovem Brasileiro lá do interior do Brasil, que veio procurar em Portugal a aprendizagem e sair da "escravatura" que vivia no maneio de cavalos, no seu próprio País.

Você diz: "[Conheço pouco a realidade portuguesa, mas tenho olhos para ver, para ler, e vou uma vez por ano aì. Há coisas que não se podem esconder, a realidade não está nos livros/i] "

Desculpe e sem ofensa, está a ter leituras reducionistas e ainda bem que vindo a Portugal se possa informar correctamente, antes de emitir estes seus posts que denunciam ao fim e ao cabo um desconhecimento de todos os contextos. Pois a realidade não se lê nos livros , mas há informação disponível que nos ajuda a perceber e entender a realidade, e tv o que lê, como afirma, não abarque a contextualização de todos os factos que obviamente os Lusitanos são vitimas em Portugal, não acha?

Acresce que por ex, a legalização oportuna em Espanha, com a introdução de corridas de cavalos, que em Portugal ainda não é claro, tenha trazido mais valias económicas que se vão reflectir nas restantes modalidades, como acontece no Brasil: por mero acaso, também assisti a corridas de cavalos, no Rio de Janeiro há anos, quando por lá andei.

Nos states também existem há nos, e de certeza que o aproveitamento económico pelo Estado, dará necessariamente, mais valias, que se reflectem inevitavelmente nas outras modalidades. Aparecem sponsors etc, etc...

Tudo, em todas as áreas tem, salvo melhor opinião ser contextualizado e acima de tudo passa pelos tais poderes que deveriam apoiar um projecto de preservação do que é NOSSO e como pressuponho ser Portuguesa, também faz parte do seu património
Boa Viagem e estadia proveitosa :-)

Que fique claro que os meus posts dirigidos a si, não pretendi que fossem ofensivos, mas apenas alertá-la para o que postei.

E pode acreditar que por mim, será bem vinda a Portugal :-)

Se tiver oportunidade vá à FNAC e consulte o livro de Arsénio Raposo Cordeiro: "Cavalo Lusitano, o filho do Vento" e encontrará, julgo eu, não me recordo se será nesse, a explicação de cavalo de cela e depois sela. São alterações ortográficas como por ex: Pharmacia e Farmácia entre tantas outras. A temporalidade que implica alteração de grafismo tem as suas razões. :-) E aí entrar-se ía na linguística e a implicação da oralidade que introduz novas "palavras" /novas grafias pelo uso.

Mas não obstante esse dado, encontra uma abordagem de como "aparece" o Lusitano :-)

E a talhe de foice vem o tal Acordo ortográfico que pessoalmente me oponho: Aliás nem África ainda o assinou. Tal como O mirandez, é nosso e não é aprendido na escola.

Só mais uma informação para a sua pesquisa. E se pensar na adopção da linguagem informática, no léxico falado, também o poderá contextualizar na perspectiva dos avanços galopantes da internet. E muitos já estão adoptados, sem constarem ainda no diccionãrio léxico português e provavelmente nem no Italiano.

maria

lusitanoPO
Sela 01
Mensagens: 28
Registado: terça fev 09, 2010 4:45 pm

Re: Uma Raça três Stud Book's

#66 Mensagem por lusitanoPO » quarta ago 25, 2010 10:43 am

De acordo com informação da Equisport online, a Federação Mundial de Criadores de cavalos de Desporto (WBFSH) ao divlugar o ranking dos melhores cavalos refere:
- Na Dressage o 1º lugar é da KWPN e . ... classifica o PURO SANGUE LUSITANO em 7º lugar, o PRE em 8º lugar e ...para surpresa (ou talvez não) indica o Puro Sangue Lusitano BRASILEIRO (?) em 17º lugar.
A surpresa não está na classificação, mas sim, ao reconhecer o novo Stuud Book (Puro Sangue Lusitano Brasileiro !...).

O que é isto?
A APSL e a FAR, não terão nada a dizer? ou actuar?...
Esperemos esclarecimentos

Avatar do Utilizador
Filipe Graciosa
Site Administrator
Mensagens: 1255
Registado: quarta out 29, 2003 8:27 pm
Localização: Lisboa, Portugal

Re: Uma Raça três Stud Book's

#67 Mensagem por Filipe Graciosa » sexta fev 25, 2011 1:20 am

Carta aos Sócios da APSL
carta1.jpg
carta1.jpg (120.74 KiB) Visto 2157 vezes
carta2.jpg
carta2.jpg (132.98 KiB) Visto 2156 vezes
carta3.jpg
carta3.jpg (115.19 KiB) Visto 2155 vezes
Filipe Graciosa Jr

Padrao
Mensagens: 2
Registado: segunda mai 21, 2012 11:54 pm

Re: Uma Raça três Stud Book's

#68 Mensagem por Padrao » sábado jun 02, 2012 4:10 am

lusitanoPO Escreveu:De acordo com informação da Equisport online, a Federação Mundial de Criadores de cavalos de Desporto (WBFSH) ao divlugar o ranking dos melhores cavalos refere:
- Na Dressage o 1º lugar é da KWPN e . ... classifica o PURO SANGUE LUSITANO em 7º lugar, o PRE em 8º lugar e ...para surpresa (ou talvez não) indica o Puro Sangue Lusitano BRASILEIRO (?) em 17º lugar.
A surpresa não está na classificação, mas sim, ao reconhecer o novo Stuud Book (Puro Sangue Lusitano Brasileiro !...).

O que é isto?
A APSL e a FAR, não terão nada a dizer? ou actuar?...
Esperemos esclarecimentos
E mais esclarecimentos sobre este tema já ouve?
É que o último post, parece uma tentativa de mostrar trabalho. No entanto, não explica como se deu tal apatia, que gerou uma situação em que durante vários anos o PSL foi registado à revelia da APSL, e que gera situações como a referida na citação acima. Medos expressos pela Alexandra nos USA, uma situação deste género que não é acautelada de imediato tem este resultados amargos. Se alguém tiver informações eu gostaria de saber.

Nuno

Responder

Voltar para “Puro Sangue Lusitano”