Caçadas à raposa a Cavalo

Fórum da modalidade

Moderador: Filipe Graciosa

Mensagem
Autor
Avatar do Utilizador
Filipe Graciosa
Site Administrator
Mensagens: 1255
Registado: quarta out 29, 2003 8:27 pm
Localização: Lisboa, Portugal

Caçadas à raposa a Cavalo

#1 Mensagem por Filipe Graciosa » sábado jun 05, 2004 4:21 am

Sou grande aficionado das caçadas à raposa a cavalo, iniciei aos 12 anos e desde então fiquei com o bichinho cá dentro :D Infelizmente os "verdes" andam a tentar acabar com as caçadas, dizem que é uma selvajaria. Acho giro é só refilarem com um grupo de quarenta pessoas que matam em média duas raposas por ano, que dá mais ou menos 0,05 raposas mortas por ano por pessoa, enquanto qualquer pessoa com uma espingarda mata mais de 20 raposas por ano, ou seja mata mais de 400 vezes o que cada caçador a cavalo mata. Alias nós vamos a observar a caçada dos cães, não interferimos, os únicos que interferem são os "huntsmans" (2/3 cavaleiros que mantêm os cães unidos e a seguir o rasto). Com uma espingarda além de se matar muito mais, muitas vezes não as matam logo, apenas as ferem e depois andam uns dias com as feridas abertas e os chumbos lá dentro até morrer, enquanto na caçada à cavalo não existe animais feridos, ou consegue escapar o que acontece a maioria das vezes (metem-se na toca ou passam uma vedação). O que também ajuda à selecção natural, só os mais fortes sobrevivem, as raposas mais fracas e velhas são as que são apanhadas.
Além dos postos de trabalho que gera nesta época de crise.

Para mais informações visitem: http://www.cavalonet.com/esh/ e http://www.cavalonet.com/esh/DCR.htm
Filipe Graciosa Jr

Estevao
Mensagens: 1
Registado: quarta jun 09, 2004 9:02 am
Contacto:

#2 Mensagem por Estevao » quarta jun 09, 2004 9:10 am

Caro Filipe,

O dizes sobre a quantidade de raposas mortas na caça a cavalo e no enorme insucesso que têm muitas caçadas, e que o andar a cavalo atrás dos cães e o convívio é por vezes o que mais conta, tudo é verdade.
Mas para os caríssimos "verdes" isso não interessa!
Todos eles acham que proteger a natureza é ficar em casa a ver TV dar uns passeios pelo campo e atacar os caçadores e que realmente protegem os animais...
A táctica dos "eco-tontos" é ir acabando com pequenas coisas, e como a caça a cavalo é uma minoria, é mais fácil acabar e proibi-la do que a caça "vulgar" aos coelhos,perdizes e lebres. A filosofia deles é pequenas vitórias fazem a guerra.
Hoje acabam a caça a cavalo, depois acabam com a cetraria, depois reduzem o nº de perdizes que se pode matar, assim sucessivamente...
São capazes de fazer proibir a apanha de ovos de gaivota nas berlengas, que era uma tradição e o sustento de muitos, pois os restaurantes tinham uma especialidade que era os ovos de gaivota. Acharam que era uma atrocidade, etc etc... pois a apanha desses ovos era o controlo da população de gaivotas naquela região... Sem apanharem os ovos a população de gaivota aumentou exponencialmente e começou a fazer estragos e ser praga... o que aconteceu? um dia apareceram 25mil gaivotas mortas... envenenadas... deve ser a ideia deles de "controlo populacional" ,
Uma coisa que os caçadores sabem bem fazer porque senão não haveria caça, e que os "eco-patetas" acham que é uma actividade condenável !

Um abraço

Estevão
Estevão

octpelicho
Mensagens: 2
Registado: quarta mai 19, 2004 3:30 pm
Localização: portugal

#3 Mensagem por octpelicho » quarta jun 09, 2004 3:22 pm

Gostei do tópico, caça a cavalo, acho a modalidade muito interessante, pois não tinha conhecimento que tal se praticava cá pelas nossas terras.
Um cowboy ao por do sol

Joana Abreu
Sela 07 (estribo de prata)
Mensagens: 141
Registado: terça abr 20, 2004 9:53 pm

Afinal quem é tonto?

#4 Mensagem por Joana Abreu » quarta jun 09, 2004 5:07 pm

Acho que são tão tontos os exageros de alguns ambientalistas, como é tonto justificar com convivio entre pessoas a morte de um animal !!

Se ainda fosse para matar a fome... ainda percebia.

Que tal experimentarem caçar o coelho da Duracell?
Sim, aquele de Peluche que corre que se farta...
... isso sim é que era um grande convivio!!!

O argumento de 0.05 raposas mortas por pessoa é interessante e faz-me lembrar aquela anedota sobre o restaurante que tinha Bifes de Elefante...

Então aqui vai:
Um restaurante para atrair clientela tem afixado na Janela que vende Bifes de Elefante...
... Entra um cliente que pede 1 Bife de Elefante...
... o dono do restaurante responde:- Olhe nós temos Bife de Elefante, mas não posso servi-lo a si, porque não vou matar 1 Elefante Inteiro só por causa de 1 Bife!!!

Moral da História:
- Não Há 0.05 raposas mortas!!
Ou as raposas morrem por inteiro, ou vivem por inteiro!!!

Joana Pis
Mensagens: 3
Registado: sábado mai 22, 2004 1:51 am

#5 Mensagem por Joana Pis » segunda jun 21, 2004 10:25 am

Olá a todos! Penso que vou ser a única a discordar com todos vocês nesta questão. Acho desumano a caça.. seja ela em pouca quantidade ou em muita. Não é uma questão de preservar a natureza mas acho um pouco bárbaro, matar só por diversão... acho que há outras formas de convívio, diversão e sobretudo de montar a cavalo.. os pobres dos animais sem defesas contra os humanos não têm culpa que um bando de cavaleiros se lembre de as ir matar só porque lhes apetece conviver e montar a cavalo...

Avatar do Utilizador
João Pedro de Almeida
Sela 01
Mensagens: 38
Registado: segunda jan 26, 2004 10:21 am
Localização: Azinhaga do Ribatejo / Golegã / Santarém

Ora esta...

#6 Mensagem por João Pedro de Almeida » quarta jun 23, 2004 2:59 pm

Meus amigos,

Há já muito tempo que não escrevo nada aqui... no entanto permitam-me que diga o seguinte;
Já vimos todos o quanto muita gente se preocupa com os animais. Sim senhor, estou maravilhado. Não querendo ser sarcástico nem cínico, claro está, vou lançar mais uma questão para a "fogueira" que se vai acendendo...

Vocês gostam de montar, certo? Cavalos, portanto? Muito bem.
E desde quando é que acham que os cavalos gostam de vos carregar às costas? Acham realmente que os nossos fiéis amigos adoram sobremaneira carregar-vos às costas, levarem com as esporas na barriga, e que lhes encham a boca de ferros que os obrigam a fazer coisas que nem de perto nem de longe lhes aprovém fazer naquele momento? O que lhes garante que não preferiam estar soltos no campo a comer erva verdinha e a trotar e galopar alegremente? Porque é que temos de desbastar os cavalos, obrigando-os a fazer o que não querem, logo contra a sua vontade e natureza, levando-os a fazer o que queremos, sujeitando-os aos nossos caprichos de "bicho" dominante?
O que vos dá o direito de "maltratar" dessa maneira um mamífero, como muito bem disse a Joana Pis?
Espero ter feed-back desse lado, sem contudo que hajam problemas por me ter espressado abertamente e de coração...
Desculpem lá...

E para que não hajam dúvidas nem confusões, fica registado que sou aficionado de touradas, toiros de morte, gosto de montar a cavalo, gosto de caça, de pesca, entre outras coisas :wink: . Além de que adoro animais, e não me vejo como um bárbaro por ser quem sou e como sou.
Não quero com isto lançar confusões, provocar desacatos, ou qualquer outra coisa ruím.
Quero, ou desejo, com isto abrir por aí uns horizontes mais obstinados, sem conhecimento de causa e que querem desacreditar coisas e elementos que não conhecem.
Considerem também isto válido para o tópico das touradas neste fórum.

"Não negue à partida uma ciência que desconhece..." :wink:

Saudações equestres...
João Pedro de Almeida

Joana Abreu
Sela 07 (estribo de prata)
Mensagens: 141
Registado: terça abr 20, 2004 9:53 pm

Natureza...

#7 Mensagem por Joana Abreu » quarta jun 23, 2004 7:17 pm

Sr. João Pedro de Almeida,

Acho muito interessante o seu ponto de vista (e não estou a ser irónica). Pois penso que cada 1 deve defender as suas ideias, e não ter medo de lançar a "confusão", porque é da confusão que normalmente saiem as ideias mais refinadas.

Eu não nego os meus instintos!!! Eu como carne!!!

A questão é a seguinte:

Matar para sobreviver... sim!!!
Matar para convivio ou divertimento, NÃO!!!

Penso que se deve respeitar tanto a vida como a morte dos animais todos (Humanos incluídos), e a morte justificada pelo o convivio ou divertimento, é um desrespeito pela vida como pela morte.

Tendo alguma validade o seu argumento, contudo não me parece comparável a "doma" de um animal, com a morte desse mesmo animal como um espectáculo para divertimento de algumas pessoas!!!

Avatar do Utilizador
João Pedro de Almeida
Sela 01
Mensagens: 38
Registado: segunda jan 26, 2004 10:21 am
Localização: Azinhaga do Ribatejo / Golegã / Santarém

...Natureza...

#8 Mensagem por João Pedro de Almeida » quinta jun 24, 2004 10:42 am

Srª Joana Abreu,

O seu nome não me é estranho, não sei mesmo se não somos vizinhos... Bem, adiante que isto não vem ao caso...

Respeito a sua maneira de pensar e até concordo com ela nalguns pontos.
Quando diz; "matar para sobreviver, sim", concordo.
Quando diz; "matar para divertimento, não", não concordo e passo a explicar; não considero as touradas como um simples divertimento, mas sim como uma tradição de cultura que inclui respeito e admiração para com os animais que são sujeitos. Mesmo quando há toiros de morte, há sempre um enorme respeito pelo animal que morre. Só um ignorante (e não tenho visto poucos, tipo turistas) vai a uma tourada bater palmas que nem um desalmado e rir de tudo e mais alguma coisa que ache engraçado durante a lide, pegas, etc. A Tourada não é um circo!
A tourada é um espectáculo, para mim, solene, de respeito e de emoções fortes. Uma coisa que nos fala ao coração, querendo assim, calar alguns dos ignorantes que acham que comparar tourada e poesia é estupidez e pretensão. Não, não é. Pelo menos para mim que fui criado frequentando o meio e me identifico com estas "emoções ibéricas" que nos tornam a todos um pouco "bárbaros"... sim, sim eu sei que na mensagem anterior disse que não me considerava um bárbaro, mas por isso mesmo é que desta vez incluí os ""... :wink:

Em relação à caça à raposa; é mais complicado do que parece, pelo menos para mim, que me sinto encurralado entre esta dualidade de sentimentos.
É então assim; não estou contra a equipagem de Stº Huberto porque não acho muito agressivo tendo em conta que grande parte das caçadas acabam em nada, so mesmo com o convívio dos intervenientes... digamos antes que é uma coisa de "ricos"... :wink: se é que me faço entender...
Comparável também à caça às lebres com galgos e caça aos gamos com carabina de longo alcance nas herdades do Alentejo...
Estou mais contra as batidas à raposa organizadas e destinadas a matar grande quantidade de raposas numa área reduzida (200, 300, 400ha) onde por vezes, numa única caçada se dizimam a totalidade do efectivo de raposas existentes nessa área. A isso não chamo caça mas sim abate desenfreado, que considero como completamente diferentes, como "comparar um ovo com um espeto", como se diz na minha terra.

Bem, o monólogo já vai longo e tenho de o abandonar por agora...
Fique bem e desculpe qualquer discórdia da minha parte... não é por mal, que até sou de poucas discórdias...

Saudações equestres...
João Pedro de Almeida

Joana Abreu
Sela 07 (estribo de prata)
Mensagens: 141
Registado: terça abr 20, 2004 9:53 pm

Tradições?

#9 Mensagem por Joana Abreu » sábado jun 26, 2004 12:59 pm

Vou relembrar um argumento que já empreguei neste fórum sobre tradições culturais
Falando em Tradições:
- Muitos povos tinham a tradição de sacrificar seres humanos para servir os seus deuses (finalmente já terá praticamente acabado)
- Em Espanha colocavam-se toiros em lutas até à morte com ursos (felizmente já acabaram)
- Em Roma, seres humanos lutavam até à morte com leões
- A igreja tinha a tradição de queimar pessoas vivas quando se opunham a alguma doutrina vigente (esta tradição terá custado 800 anos de evolução à nossa civilização, porque muitos dos nossos melhores cérebros foram queimados na altura, e por vezes mesmo antes de deixarem herança genética (filhos)) Por outras palavras, provavelmente já poderíamos ter uma casa de férias na Lua, se não fosse essa tradição.

Portanto, o argumento tradição, na minha opinião está mais que ultrapassado.
Quanto ao argumento tradição, resta-me dizer que:
- Ainda bem que abandonámos algumas tradições em prol da civilização

CH
Sela 01
Mensagens: 41
Registado: terça jun 29, 2004 12:40 am

#10 Mensagem por CH » terça jun 29, 2004 7:28 pm

A certas tradições que não devem ser acabadas pois são para ser compridas, e a certos animais como por exemplo os toiros bravos que se não não forem as corridas estes animais seriam extintos por isso nada a pior que ambientalistas.
Caçar e um desporto nobre seja qual for o tipo de caça que ao menos da uma razão de ser a certos animais que sem ser para a casa talvez não serviriam para nada.

Por isso viva o verdadeiro Portugal o Portugal decente e nobre que cumpre as verdadeiras tradições!!!!!!!!!

Joana Abreu
Sela 07 (estribo de prata)
Mensagens: 141
Registado: terça abr 20, 2004 9:53 pm

#11 Mensagem por Joana Abreu » terça jun 29, 2004 11:04 pm

Já vi que o Sr(a). CH consegue tornar as teorias de Nietzsche simpáticas.

Então na sua opinião não existe nenhuma outra forma de preservar os toiros bravos, sem ser de criá-los para promover o seu sofrimento???

Mas eu sinceramente tiro o chapéu a esta sua frase:
Caçar e um desporto nobre seja qual for o tipo de caça que ao menos da uma razão de ser a certos animais que sem ser para a casa talvez não serviriam para nada.
Os animais só servem para morrer para nosso divertimento???

Aconselho-o(a) vivamente a ir ver o National Geographic, para saber o que é que os animais fazem quando não estão a ser caçados.

CH
Sela 01
Mensagens: 41
Registado: terça jun 29, 2004 12:40 am

#12 Mensagem por CH » quarta jun 30, 2004 1:05 am

Quem não gosta não opine
Mas a caça é um desporto bem divertido a meu ver
Mas agora ambientalistas????????
Não muito obrigado
E qual é o interesse de ter numa casa um animal ao qual não nos podemos aproximar, e ainda por cima economicamente para carne não tem muito valor para isto para simplesmente ter a pastar temos as raças comos o Xaroles, Vaca Alentejana, Limusine, etc... Para quê criar algo perigoso com pouco valor de carne.

E ainda para mais as tradições servem para serem cumpridas.

Joana Abreu
Sela 07 (estribo de prata)
Mensagens: 141
Registado: terça abr 20, 2004 9:53 pm

Felizmente

#13 Mensagem por Joana Abreu » quarta jun 30, 2004 2:29 pm

Então, todos os animais que não têm valor de carne e se são perigosos... Acabem-se com eles!!!

Olhe um animal que tem pouco valor de carne e é o mais perigoso, é o Homo Sapiens!!!
Acha que também devemos acabar com eles?

Joana Pis
Mensagens: 3
Registado: sábado mai 22, 2004 1:51 am

#14 Mensagem por Joana Pis » quarta jul 07, 2004 10:11 pm

Olá a todos! Mais uma vez discordo com quase tudo o que se diz acerca deste tópico!! antes de mais, gostaria de dizer que os cavalos gostam de ser montados (claro que nem sempre têm vontade). Todo o bom cavaleiro sabe que o cavalo gosta de receber atenções e gosta de ser acarinhado. Se tiver um dono devoto, ele vai adorar ser montado, pois é mais uma fonte de atenção! Agora tudo de pende da maneira como se monta..No caso das touradas, sim..estamos a maltratar e eventualmente matar um animal inofensivo..só por diversão..Por favor, estamos no sec.XXI. Chama-se a isso Evolução!

Boa Semana!

AnaE
Mestre de Equitação
Mensagens: 1051
Registado: terça jun 08, 2004 8:10 pm

Caça em geral

#15 Mensagem por AnaE » quinta jul 08, 2004 11:18 am

No seu conceito base a caça é uma actividade cruel, implica a morte de um animal numa actividade de recreio para o homem, apesar de na sua génese este acto resultar de uma necessidade natural de alimentação.
Apesar disso, é uma actividade em franca expansão com cada vez mais adeptos dispostos a pagar elevadas quantias pela sua práctica.

No nosso país, como se verifica em outros paíse da Europa, como Espanha e a Inglaterra, a caça deve ser considerada como uma actividade válida, como oferta complementar à actividade turística e incentivo à manutenção e gestão dos recursos cinegéticos, naturais e ao aproveitamento de áreas do território com menores capacidades agrícola, dinamizadora de povoações interiores e ainda de um número alargado de actividades não directamente ligadas á caça mas que de forma directa ou indirecta fornecem as matérias primas e outros serviços para a realização desta actividades.

Para que a caça deixe de ser olhada como "uma crueldade" practicada "por um bando de assassinos irresponsáveis", deve apostar-se na formação dos diversos agentes que nela participam, desde os organizadores que devem tentar diversificar o tipo de actividades oferecidas (algumas até que não implicam a morte de qualquer animal, como os campos de treino de tiro, etc.), donos das propriedades que devem ter as suas explorações baseadas em principios consistentes e sustentáveis, caçadores, que deverão ver aumentadas as exigências para uso e porte de arma bem como o cumprimento de todas as regras de segurança.

E sem dúvida, acabar com a possibilidade de qualquer pessoa poder andar de arma da mão em terreno que não lhe pertence, a atirar para tudo o que mexe.

No caso da caça a cavalo, parece-me uma atividade com grandes hipoteses de expansão em Portugal, em primeiro por aliar a caça à utilização do cavalo (outro produto português de valor), por não implicar o abate de muitos animais, e por proporcionar momentos de bom convivio, actividade física e usufruto da paisagem.

Responder

Voltar para “Caça a Cavalo”