Febre do Nilo Ocidental

Fórum do Tema

Moderadores: Filipe Graciosa, Catarina Graciosa

Responder
Mensagem
Autor
Avatar do Utilizador
Filipe Graciosa
Site Administrator
Mensagens: 1255
Registado: quarta out 29, 2003 8:27 pm
Localização: Lisboa, Portugal

Febre do Nilo Ocidental

#1 Mensagem por Filipe Graciosa » segunda fev 06, 2017 2:14 am

Boa noite,

Tenho ouvido falar de vários casos, da Febre do Nilo Ocidental em Portugal.

Alguém tem informações sobre casos concretos?



Cumprimentos,
Filipe Graciosa
Filipe Graciosa Jr

João Valenças
Ajudante de Monitor de Equitação
Mensagens: 81
Registado: sexta fev 02, 2007 12:33 pm

Re: Febre do Nilo Ocidental

#2 Mensagem por João Valenças » quarta fev 08, 2017 12:56 am

Olá,

Como é transmitida? Como podemos reduzir o risco de infecção?

Qual o período de incubação e demonstração dos primeiros sinais, após infecção?

Há vacinação ou tratamento?

Quantos infectados e em que zonas de Portugal Continental/Ilhas?

Obg,

MariaJoanaCampos
Espectador
Mensagens: 6
Registado: quarta jan 31, 2018 11:23 am

Re: Febre do Nilo Ocidental

#3 Mensagem por MariaJoanaCampos » quarta jan 31, 2018 9:43 pm

O West Nile Virus é um virus transportado pelas aves migratorias e transmite-se aos cavalos pela picada de um mosquito. O vírus entra na corrente sanguínea e chega ao sistema nervoso, onde vai provocar um processo inflamatório. Os síntomas neurológicos provocados pelo vírus são graves, podendo até levar à morte.

O período de incubação é variável. A época do ano em que se verificam mais casos de WN em Portugal é no final do verão (setembro), pois as aves migratórias sobrevoam o nosso país.

Para prevenir WN deverá evitar o contacto com os mosquitos, pois são eles que transmitem esta doença aos cavalos.

Existem vacinas comercializadas pela empresa ZOETIS e o tratamento destes casos é sintomático. O sucesso do tratamento depende do estado em que se encontra o cavalo.

Caso se suspeite de um caso de WN a direção regional de veterinária deverá ser comunicada e o diagnóstico deve ser confirmado laboratorialmente.

Maria Joana Campos

Responder

Voltar para “Veterinária”