Voltar - Página Inicial Comentários Contactos Links Mapa do Site Definir como Homepage Adicionar aos Favoritos Canal de Conversação
Search

Hipoterapia


Hipoterapia significa "tratamento com ajuda do cavalo" e destina-se a indivíduos com deficiência.
O cavalo, a passo, produz movimentos tridimensionais (para cima e para baixo, para a esquerda e para a direita , para a frente e para trás) que são similares aos padrões de movimento humano e que se encontram alterados nas crianças com problemas motores.
Montar a cavalo oferece benefícios devido à transmissão continua de movimentos entre o cavalo e o cavaleiro, para além das sua qualidades como desporto.


Como surgiu?


Remonta ao ano 458 – a. C. o primeiro documento que faz pensar no interesse surgido por esta prática, Hipócrates de Loo faz referência no seu “Livro das Dietas” que a equitação “regenera a saúde e preserva o corpo humano” alem de afirmar que “a equitação praticada ao ar livre faz com que os músculos melhorem o seu tonus”.
Galeno 130 – 199 d.C , defensor da teoria de Hipócrates e médico particular do Imperador Marco Aurélio, recomenda-lhe a equitação como forma ganhar autoconfiança e rapidez de decisão.
Cesare Borgia no Sec. XIV e Merkurialis no ano de 1569 - mencionam os tipos de andamentos do cavalo e afirmam que “aquele que quiser manter a boa forma deverá praticar equitação”.
Thomas Sydenham em 1676 na sua obra “Observationes Medical” afirma que “a melhor coisa que eu conheço para fortificar e reanimar o sangue e a mente é montar diariamente e fazer longos passeios ao ar livre”.
O abade Charles Castel (1734) e Samuel T. Quelmalz , médico alemão, criam uma máquina equestre onde se tentava reproduzir os movimentos do cavalo, denota-se portanto a importância dada nesta altura à pratica da equitação.
Joseph C. Tissot em 1782 tratou de forma aprofundada o efeito dos movimentos equestres no livro “Ginástica Médica ou Cirúrgica ou Experiência dos Benefícios Obtidos pelo Movimento”, da mesma forma que descreve pela primeira vez as contra indicações da prática excessiva da equitação.
Em 1901 fez-se em Inglaterra a primeira aplicação da hipoterapia em contexto hospitalar, uma patrona do Hospital Ortopédico de Oswentry levou os seus cavalos para lá com a finalidade de quebrar a monotonia do tratamento dos mutilados na guerra dos Boers.
No ano de 1917, no decorrer da I Grande Guerra, a prática equestre é utilizada também pelo Hospital Universitário de Oxford com objectivos semelhantes. de quebra de monotonia e tratamento.
Liz Hartel- praticante de equitação , sofre aos 16 anos de Poliomielite, não desistindo da prática de tal desporto conseguiu ao 24 anos participar nos jogos olímpicos de 1952 em Helsínquia, conseguindo a medalha de prata na modalidade de ensino, só no decorrer da entrega das medalhas em que teve de se apoiar em duas canadianas para se dirigir ao pódio, é que o público se apercebeu da sua deficiência.
França – 1972 – Drª. Collette Picart Trintelin, defende a sua tese de Doutoramento em medicina, em reeducação equestre, na Universidade de Paris.


A quem se destina?


Estas actividades são uma experiência dinâmica a nível motor, sensorial e social, e um meio de reabilitação importante para diferentes patologias.


Patologias

 

Paralisia cerebral

Espásticos

Atetósicos

Hipotónicos

Spina Bífida

Hemiplegia e paraplegia
Traumatismo craniano
Deficiência Mental
Outras patologias de origem genética
,,Debora - Sindrome de Rett ,,Beatriz - Paralesia Cerebral ,,Matilde -Paralisia Cerebral ,,Pedro - Paralisia Cerebral
,,Rita - Sindrome de Rett ,,Rodrigo - Paralisia Cerebral sem controle ,,Tiago- paralisia cerebral
 

Onde é praticado a nível Nacional

 

Hipoterapia Edite Cunha, Lda - Rua principal de Souto - Santa Maria da Feira - Aveiro - Telf: 00351256372335

Associação Amigos do Desporto Equestre - Zona Industrial Lote 26 Apartado 134 2504-910 Caldas da Rainha Telf: 26282326 Fax: 262824280

Quinta do Brejo - Cerieira – Sobreda da Caparica - Almada

APPACDM de Anadia

APPACDM de Viana do castelo

APPACDM do Porto

APPACDM de Évora

APPACDM de Portalegre
APPACDM de Setúbal – Centro Hípico de Rio Frio
APPC de Évora
Centro de Paralisia Cerebral de Lisboa – Hipódromo do Campo Grande e Hipódromo de Cascais
Centro de Paralisia Cerebral Calouste Gulbenkian
CERCI de Peniche
CEERIA – Alcobaça
Centro Hípico do Juncal
CERCIMB – Moita/Barreiro - Miroásis
 
(©) Copyright Cavalonet 2000 - 2013